Técnica que permitiu visualização de estruturas do vírus da zika leva Nobel de Química 2017

images (10)

 

 

O Nobel de Química de 2017 foi para o trio Jacques Dubochet (suíço) Joachim Frank (alemão) e Richard Henderson (escocês) pelo desenvolvimento de um microscópio de elétrons que revolucionou a observação de biomoléculas.

O prêmio foi anunciado nesta quarta-feira (4) na Suécia. Os três cientistas vão dividir o prêmio de 9 milhões de coroas suecas (aproximadamente 3,5 milhões de reais).
A tecnologia desenvolvida em 2013 pelos cientistas permitiu, por exemplo, a visualização de estruturas presentes na superfície do vírus da zika que não seriam visíveis com outras tecnologias. Uma outra aplicação foi a observação molecular do fenômeno da resistência bacteriana, quando bactérias não mais respondem aos antibióticos disponíveis.

O Nobel de Química é o terceiro apresentado neste ano. Na terça-feira (3), Rainer Weiss, alemão naturalizado americano e Barry Barish e Kip S.Thorne, cientistas nascidos nos Estados Unidos, levaram o Nobel de Física pela observação de ondas gravitacionais previstas por Albert Einstein há mais de 100 anos.